As fontes  renováveis de energia vão avançar acentuadamente no Brasil nos próximos 25 anos. Esta é a previsão apresentada no relatório New Energy Outlook 2016, produzido pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF). De acordo com o documento, a energia solar, eólica e de biomassa vão atrair US$ 237 bilhões de investimentos até 2040.

Se a previsão se confirmar, já existe uma data para o fim da dependência brasileira com relação à hidroeletricidade. Dentro de 25 anos, a presença das fontes eólica e solar na matriz energética nacional deve superar a das hidrelétricas. Segundo o estudo, a energia hidrelétrica terá sua importância diminuída, representando 29% da capacidade total da matriz em 2040, ao passo que, somadas, solar e eólica responderão por 43%. O estudo da BNEF mostra ainda que em 20 anos as energias renováveis ultrapassarão as fontes fósseis como o carvão e gás natural na geração de energia no mundo todo.

Um detalhe importante: será cada vez mais comum gerar energia em casa a partir do sol. Trata-se da micro geração residencial de energia solar fotovoltaica. Com ela, o proprietário da casa pode repassar parte da energia para a rede pública e ganhar créditos na conta de luz, como já acontece no Brasil desde 2012, através da resolução 482 da Aneel. Entre 2020 e 2040, a BNEF avalia que 96 gigawatt (GW) de pequenos sistemas solares serão implantados no país. Isso representa 9,5 milhões de residências.

SEM COMENTÁRIOS